“Cuido de um idoso com demência, que só quer comer e dormir. Alguém pode me ajudar a encontrar outra coisa para ele fazer?”

20
16867

A pergunta do título deste post foi feita em um site de fora do Brasil, resolvemos reproduzí-la aqui há uns anos atrás (2012) para trocar ideias e compartilhar respostas. Deu certo e mais uma vez a trazemos à tona:

“Cuido de um idoso com demência, que só quer comer e dormir.
Alguém pode me ajudar a encontrar outra coisa para ele fazer?”

Sabemos que a questão “o que fazer com o idoso com Alzheimer?” atormenta muitas famílias em todo o mundo, e também faz parte do cotidiano de muitos profissionais que precisam orientar atividades e uma rotina. Sendo assim, sabendo que muitos profissionais e familiares envolvidos com clientes com Alzheimer frequentam nosso site, gostaríamos de saber suas opiniões.

Colocar uma música suave ao fundo e desligar a tv ajuda a minha mãe com Alzheimer. Eu tenho a ajuda dela para dobrar as roupas de casa, assim ela participa e se sente útil, o que parece ajudar.  Eu também procuro levá-la para fazer algo na cozinha enquanto estou a cozinhar. ” Resposta de cuidador.

Descobri que meu pai gostava de uma pilha de fotografias de pessoas conhecidas e passava horas olhando para elas e fazendo comentários quando podia. Ele também adorava revistas, como a National Geographic, eu deixei umas páginas dobradas para que ele pudesse virar as páginas com facilidade. Eu usei uma pequena mesa para essas atividades, tentamos sempre algo novo, frequentemente atividades para ele olhar.” Resposta de cuidador.

Primeiramente, faço uma avaliação para conhecer o idoso e saber quais indicações de atividades poderei inserir para que possa se sentir melhor, e promover uma condição de vida mais ativa, dentro das suas possibilidades. Dentre alguns pacientes, os quais me deparei diante deste quadro, indiquei estímulos através de jogos (Cilada, Memória, Lince, Cálculos matemáticos, Dominós, Palavras cruzadas, Caça-palavras, Jogos online , arteterapia, álbuns de orientações específicas, etc.). Também realizava atividades motoras com bambolês, bolas, bastões, além de habilidades de coordenação motora fina, com objetos de espessuras variadas, dentre outras. Sempre verificando a sua condição do momento, interesse, paciência, dando estímulos para partilhar com os familiares outras atividades traçadas para o domicílio. Tendo ainda, o cuidado de fazer um cronograma de atividades anteriormente, para facilitar a dinâmica. É importante observar a medicação, a sua rotina diária e o motivo principal que desencadeou sua atitude de isolamento. A ajuda familiar é imprescindível.” Resposta de Andréa Maria de Araújo, profissional.

É preciso verificar se ele está tomando algum medicamento que esteja fazendo dormir muito. Os idosos com Alzheimer têm, na maioria das vezes, os mesmo interesses que antes, o que acontece é que eles esquecem quais eram as atividades que enriqueciam seus cotidianos. Por isso o cuidador deve aprender a ser a “ponte” que conecta o idoso aos seus interesses. Musica é algo que faz parte da historia de vida de muitas pessoas, então pode procurar quais eram os interesses musicais do idoso ele pode dançar, ouvir, cantar, traduzir uma letra em inglês enfim vai da relação da musica com a vida do idoso. Vê se ele tinha interesse por jogos como dama, baralho, se gostava de atividades artesanais etc. É importante “olhar no passado”, abrir as caixas, resgatar interesses, fazer o “passado” torna-se o presente.” Reposta de Walter Luiz, profissional.

“Uma atividade que costumo usar e os idosos demonstram boa receptividade, é a folha das emoções… trata-se de uma folha com uma pergunta na parte superior (COMO ESTOU ME SENTINDO HOJE), e abaixo, várias carinhas, expressando distintas emoções que fazem parte da vida humana. Em cada carinha (colorida) tem o nome da emoção ou sentimento expresso. O cuidador poderá iniciar a atividade falando para o idoso que naquela folha existem vários sentimentos diferentes, e em seguida pergunte: como vc está se sentindo hoje? Entregue a folha para o idoso… geralmente, eles olham ,olham… e começam a relatar e expressar o que estão sentindo… as vezes eles falam de sentimentos passados, em épocas remotas, e assim por diante. O idoso se sente valorizado e respeitado, com essa atividade. É importante que o cuidador escute com atenção o comparilhamento das emoções. Se vc se interessa pela FOLHA DAS EMOÇÕES, me escreva (kesiasilv@hotmail.com)…. sou psicóloga, e trabalho com idosos em Curitiba.” Resposta de Késia Oliveira, profissional.

Tenho uma tia com Alzheimer. Ela tricotava muito bem. Encomendei a ela vários cachecóis (são fáceis de fazer). Comprei lãs coloridas não muito finas e agulhas. Ela fez vários e deu de presente pra toda a família. Ficaram meio tortinhos, mas ela ficou satisfeitíssima em fazer os presentes e nós em recebê-los. Comprei umas revistinhas Cruzadinhas e ela se diverte com elas. Era ótima cozinheira, por vezes pedimos a ela fazer algo não muito complexo. E ela capricha!. Uma coisa que a deixou interessada e alegre (não foi nenhuma tarefa) comprei um cachorrinho! O importante é explorar o que a pessoa gostava muito de fazer e apresentar a tarefa, simplificada se for o caso, pedindo sua ajuda. Ficará muito satisfeita em fazê-lo, em ser útil. Passeios no jardim ou na praça próxima também a tem animado bastante.” Resposta de cuidador, Rita P. Longobardi.

Se ele gosta de comer você pode iniciar fazendo junto com ele uma lista de seus alimentos preferidos, mostrar fotos desses alimentos para preservar seus nomes, elaborar cardápios, listas de compras e até o preparo de alguns alimentos, se essa atividade já fez parte da vida dele ou incentivá-lo a conhecer como se prepara um de seus alimentos favoritos.” Denise Oncken, leitora reab.me

E você, qual sua sugestão? não se acanhem em escrever e em compartilhar recursos, atividades e experiências…  Lembrem-se que não importa se você é profissional ou não, qualquer ajuda é sempre bem- vinda!

=)

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

20 COMENTÁRIOS

  1. Se ele gosta de comer você pode iniciar fazendo junto com ele uma lista de seus alimentos preferidos, mostrar fotos desses alimentos para preservar seus nomes, elaborar cardápios, listas de compras e até o preparo de alguns alimentos, se essa atividade já fez parte da vida dele ou incentivá-lo a conhecer como se prepara um de seus alimentos favoritos.

  2. Tenhgo uma tia com Alzheimer. Ela tricotava muito bem. Encomendei a ela v ários cachecóis ( são fáceis de fazer). Comprei lãs coloridas naõ muito finas e agulhas. Ela fez vários e deu de presente pra toda a família. /Ficaram meio tortinhos, mas ela ficou satisfeitíssima em fazer os presentes e nós em recebê-los.
    Comprei umas revistinhas Cruzadinhas e ela se diverte com elas.
    Era ótima cozinheira, por vezes pedimos a ela fazer algo não muito complexo. E Ela capricha!.
    Uma coisa que a deixou interessada e alegre ( não foi nenhuma tarefa) comprei um cachorrinho!
    O importante é explorar o que a pessoa gostava muito de fazer e apresentar a tarefa, simplificada se for o caso, pedindo sua ajuda.
    Ficará muito satisfeita em fazê-lo, em ser útil.
    Passeios no jardim ou na praça próxima também a tem animado bastante.

  3. Uma atividade que costumo usar e os idosos demonstram boa receptividade, é a folha das emoções… trata-se de uma folha com uma pergunta na parte superior (COMO ESTOU ME SENTINDO HOJE), e abaixo, várias carinhas, expressando distintas emoções que fazem parte da vida humana. Em cada carinha (colorida) tem o nome da emoção ou sentimento expresso. O cuidador poderá iniciar a atividade falando para o idoso que naquela folha existem vários sentimentos diferentes, e em seguida pergunte: como vc está se sentindo hoje? Entregue a folha para o idoso… geralmente, eles olham ,olham… e começam a relatar e expressar o que estão sentindo… as vezes eles falam de sentimentos passados, em épocas remotas, e assim por diante. O idoso se sente valorizado e respeitado, com essa atividade. É importante que o cuidador escute com atenção o comparilhamento das emoções. Se vc se interessa pela FOLHA DAS EMOÇÕES, me escreva…. sou psicóloga, e trabalho com idosos em Curitiba.

  4. É preciso verificar se ele está tomando algum medicamento que esteja fazendo dormir muito. Os idosos com Alzheimer têm, na maioria das vezes, os mesmo interesses que antes, o que acontece é que eles esquecem quais eram as atividades que enriqueciam seus cotidianos. Por isso o cuidador deve aprender a ser a “ponte” que conecta o idoso aos seus interesses. Musica é algo que faz parte da historia de vida de muitas pessoas, então pode procurar quais eram os interesses musicais do idoso ele pode dançar, ouvir, cantar, traduzir uma letra em inglês enfim vai da relação da musica com a vida do idoso. Vê se ele tinha interesse por jogos como dama, baralho, se gostava de atividades artesanais etc. É importante “olhar no passado”, abrir as caixas, resgatar interesses, fazer o “passado” torna-se o presente.

  5. Olá Ana, tudo bom? Adorei a contribuição de todos…
    Gostaria muito da FOLHA DAS EMOÇÕES que a psicóloga Késia Oliveira de Curitiba falou. Vocês tem? Se não, vocês podem passar o contato dela?

    Fico no aguardo.
    Obrigada.

  6. Cuido de uma senhora cujo único prazer é comer. Infelizmente sua dieta é muito restrita devido a problemas de saúde. Ela não tem uma perna e só pode andar de cadeira de rodas devido a obesidade. É inteligente e tenta manipular as cuidadoras para tentar obter comida. O que me sugerem?

  7. Primeiramente, faço uma avaliação da Terapia Ocupacional e de Fisioterapia, para conhecer o idoso e saber quais indicações de atividades poderei inserir para que possa se sentir melhor, e promover uma condição de vida mais ativa, dentro das suas possibilidades. Dentre alguns pacientes, os quais me deparei diante deste quadro, indiquei estímulos através de jogos(Cilada, Memória, Lince, Cálculos matemáticos, Dominós, Palavras cruzadas, Caça-palavras,Jogos online ,arteterapia, álbuns de orientações específicas, etc.
    Também realizava atividades motoras com bambolês, bolas, bastões, além de habilidades de coordenação motora fina, com objetos de espessuras variadas, dentre outras. Sempre verificando a sua condição do momento, interesse, paciência, dando estímulos para partilhar com os familiares outras atividades traçadas para o domicílio. Tendo ainda, o cuidado de fazer um cronograma de atividades anteriormente, para facilitar a dinâmica. É importante observar a medicação também como já foi comentada, a sua rotina diária e o motivo principal que desencadeou sua atitude de isolamento. A ajuda familiar é imprescindível.

  8. Eu acredito que a musica é exlente medida para atrair a atenção,trabalhei com crianças com deficiência mental e notei que a musica atraia a atenção dele,os mantinham atentos e calmos ,além do que tambem os movimentos que eu fazia com eles,trabalhando pernas e braços os deixavam mais ativos e espertos.Num determinado tempo com muita paciencia percebi que eles cantavam e dançavam ao modo de cada,simplesmente uma experiencia maravilhosa.

  9. Olá!
    Cuido de uma avó com alzheimer, que depois do pequeno almoço gosta de voltar a dormir (fica bem mal disposta qdo nao o faz), e depois de levanta pelas 12 e até passa uma tarde bastante activa, a passear ou ajudar nas tarefas domésticas, mas, cada vez mais, deixa de se entreter com a televisao e quer ir para a cama mais cedo. Cremos que nao é bom que durma demasiadas horas… devemos tentar entretê-la e que passe mais tempo acordada ou poderá ser uma necessidade real? Obrigada!

    • OI Sara, sono pode sinalizar várias coisas emocionais ou biológicas, o ideal é procurar ajuda do seu médico e também conversar com a equipe de Reabilitação que atende sua avó. Olha, a postura evitativa pode ser decorrente da diminuição do desempenho. Vcs sempre terão que estar atentos na forma de adaptar as atividades (a forma de fazer) para que ela sempre possa participar. Espero ter ajudado! Grande abraço. Ana

  10. Observo que varias pessoas estão sem resposta aqui neste sitio. Sugiro uma intervenção parte do administrador que sejam encaminhadas a quem de direito pois muitas dessas respostas as perguntas feitas, seria de grande valia para muitos. A folha de Emoções de Kessia Oliveira por exemplo, poderia ser postada, ou que seu e-mail fosse informado.

  11. Minha mãe gosta de ajudar a colocar e tirar as roupas do varal… gosta de lavar a louça e enxugar… mesmo que as vezes não fique muito bem lavado eu deixo ela fazer e depois confiro tudo… se precisar refaço alguma coisa mas sem ela perceber… ela tem um caderno pra escrever palavras, eu digo com que letra começa e ela escreva todas as palavras que lembra com aquela letra… quando ela nao quer escrever a gente brinca de lembrar e falar as palavras… ela tambem faz continhas de somar.. ela gosta muito… coloco contas faceis… a musica é uma das melhores coisas, ela canta junto e as vezes dança… tambem gosta muito de ficar com a cachorra e a gata… outra coisa é a leitura… baixo livros da internet faceis de ler e coloco letras bem grandes… ela fica muito contente quando consegue ler… cada um vai ser melhor estimulado conforme os gostos que tinham antes… minha mae amava contas, ler e estudar e musica entao sao essas coisas que animam ela.

  12. Meu pai tem 93 anos e nasceu no último dia do signo de Leão, tem Mercúrio em Virgem, Marte em Leão e Lua em Libra. Mesmo que o Alzhimer tenha lhe tirado a 99% da memória e a orientação espacial, o caráter continua o mesmo: Quer ser o centro das atenções (Leão), crítico e aponta tudo que está errado e como deveria ser (Mercúrio em Virgem), precisa fazer tudo em companhia (Lua em Libra) e quer chamar a atenção com suas habilidades, tocando gaita, por exemplo (Marte em Leão).
    Como ele foi telegrafista durante sua vida profissional, comprei um aparelho de telégrafo e fiz uma adaptação em um software baixado na internet de código morse, de forma que eu escrevo no teclado e o programa traduz em sons do código morse. Ele usa o aparelho para responder em código morse e o programa converte os sons em letras na tela do computador. Isso tem ajudado ele a se sentir ativo, pois quando escrevo “Chamando SWR, chamando SWR” (SWR é a forma como era a assinatura como telegrafista Sebastião Won Randow) ele ouve de qualquer lugar da casa e vem rápido para responder que está pronto. Mas devido a Lua em Libra ele quer a presença de alguém o tempo todo, o que exige uma pessoa 24h dedicado a ele. Ele acorda no meio da noite para ir ao banheiro e não localiza a porta ao lado da cama e anda pela casa buscando encontrar.
    Descrevo aqui um fato que aconteceu em relação ao meu vizinho.
    Meu vizinho disse: Seu pai está somente vegetando.
    Pensei: Esse vizinho cuida de seu jardim com esmero e vem me chamar para ver as plantas quando elas estão belas. Mas elas apenas vegetam, verdadeiramente, e mesmo assim lhe enchem de alegria e exigem dele todos os cuidados.
    Uma lição a cada dia.

  13. Eu cuido do meu esposo ele tem 83 anos ele diabético tem problema sério no coração Nao vê mais ele que come o tempo todo a noite toda fica gemendo falando que ta com fome o tempo todo nao sei mais o que fazer mim ajude

    • Olá Maria, tudo bem? Seria interessante que você procurasse um médico Geriatra.
      Ele irá lhe orientar quanto as condutas e tratamentos farmacológicos/não-farmacológicos (Terapias)

  14. A minha mãe tem 86 anos ela tem Alzheimer ela só quer dormir oque eu faço pra tentar resolve essa situação
    ela acaba de comer e já quer dormir e de noite fica acordada oque eu faço

    • Oi Andre, você já conversou com o Geriatra dela sobre a questão? Seria importante que você entrasse em contato com ele e relate a situação.
      Você também pode buscar um Terapeuta Ocupacional, ele irá organizar uma rotina e sugerir atividades que possam ser feitas durante o dia que a deixem mais tempo em alerta e até atividades de estimulação cognitiva.
      Abraços

    • Oi Jaci, tudo bem?
      Seu paciente é acompanhado por um Terapeuta Ocupacional? Tenta conversar com ele, talvez ele te ajude com algumas estratégias para estimula-lo de outras formas, inclusive para que ele tenha interesse em abrir o olho e participar das atividades que você propõe.
      Beijos.

Deixe uma resposta para Andre Messias de Oliveira Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.