Estímulos sensorias na sessão e no cotidiano

5
4676

Sou uma fã confessa de Integração Sensorial e foi esta paixão que me fez conhecer o benefício dos estímulos sensoriais para o trabalho cognitivo com clientes com Demência (não que isto seja Integração Sensorial, oks???).

Nas fotos acima vocês podem ver algumas formas em que podemos unir o trabalho sensorial às sessões de reabilitação cognitiva e às atividades cotidianas. Tapetes de textura são uma excelente opção para revestirmos a superfície em que vamos trabalhar. Assim como, podemos utilizar o tapete durante atividades do cotidiano (veja a foto do tapete no pé da idosa enquanto ela folheia uma revista). Em todos os dois casos o estímulo tátil fornecido pela tapete ajuda a aumentar o spam de atenção do cliente.

Massss…. cuidado!!! Porque o estímulo deve ser oferecido de forma que o Sistema Nervoso não se habitue, ou seja, se aquele pé ficar parado muito tempo no tapete vai chegar um momento que esse estímulo não vai ter o “impacto” que devia, simplesmente porque o cliente “se acostumou” com aquela sensação. (Ficou claro??)

Ana K.

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

5 COMENTÁRIOS

  1. nao entendi o aumentar o span??? o estimulo pode ser também um distrator da atençao, podendo trabalhar o reforçamento da atençao para essa ou akela atividade!!!!

    • oi meninas! Entendo a preocupaçāo quanto ao estímulo sensorial ser um distrator, mas o desse tipo de estímulo deve ser empregado quando o terapeuta tem conhecimento quanto a aplicaçāo. Em T.O temos um Método bastante conhecido chamado Integração Sensorial. Conhecendo este método, usamos estímulos sensoriais para facilitar a integração desse tipo de informaçāo e o funcionamento do indivíduo, pois à medida que as informações sensoriais estão sendo processadas da melhor forma, essa informação se une a cognitiva e a motora e temos um comportamento adequado às exigências do ambiente. No trabalho com idosos não teems ainda muitas referências, mas já sabe-se hoje dessa relação que pode ser muito positiva entre o sensorial e o cognitivo. a Luiza falou bem aí em cima: é no sensorial que tudo começa. Quanto ao spam, entenda-se “o nível de atenção”. Aprendi com o nome spam e aí já viu, só uso ele! =D Ana K.

  2. O estímulo sensorial deveria estar sempre presente nas atividades;pois é o começo de tudo.É atraves das sensações que poderemos obter melhor exíto com os nossos pacientes.

  3. É exatamente o que a Ana K. falou… O uso dos estímulos sensoriais deve ser realizado por profissionais que entendam que tipo de estímulos, por quanto tempo e para que objetivo deve ser utilizado para de fato promover uma melhor integração sensorial e possibilitar uma melhor resposta (motora e cognitiva) às demandas do ambiente. Se não pode ser algo a prejudicar o desemepenho do paciente. Mas só para explicitar como a questão dos estímulos está presente em diversas de nossas atividades e por isso o seu uso pode ser útil também na terapia: nós mesmo temos mecanismos de buscar, restringir ou promover inconscientemente uma auto-estimulação, quantos de nós não conhecemos pessoas que só estudam escutando música ou com algum barulho? ou aqueles que precisam de silêncio total? Quantos de nós gostamos de chupar uma bala ou um chiclete durante uma aula, ainda mais se ela estiver chata ou se estivermos cansados? Ou ainda ficamos balançando nosso pé para nos mantermos atentos ao que o professor diz? Ou mundando nossa posição corporal na cadeira? Tudo isso que fazemos também tem um pouco da nossa procura por estímulos para nos mantermos atentos e concentrados a determinadas atividades que são importantes… Mas, vale repetir, deve-se conhecer o cliente, enteder um pouco de intergração sensorial para usar estímulos adequados na medida certa para obtermos um resultado positivo!

  4. Fiquei muito feliz com notícia de hoje!! Trabalhei um pouco parecido com uma idosa com demencia que falava pouco e praticamete nao interagia com o ambiente…utiizei estimulos tateis, auditivos, olfativos e visuais!!! E quando fiz um curso de interaçao sensorial me lembrei mutito dessa idosa!!e fico feliz por outras terapeutas ocupacionais pensarem assim, pois o resultado é maravilhoso!!!

Deixe uma resposta para Luiza Brasil Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.