Tem tanto a ser feito sobre a Doença de Alzheimer e outras demências. E esse “mundo de coisas” está nas ciências, nas pesquisas, mas também nas atitudes. Atitudes de educação social e também de reflexão pessoal.

Um material interessante, e que pode ajudar nessa perspectiva, da educação é o “Positive language: An Alzheimer’s Society guide to talking about dementia“, um material gratuito e disponibilizado pela Alzheimer’s Society. Leia a introdução e entenda melhor:

“A maneira como falamos sobre a demência tem um efeito direto sobre como as pessoas que vivem com a doença se sentem. Também pode ter um efeito profundo na sociedade. Afinal, as palavras que usamos afetam a maneira como pensamos, e a maneira como pensamos afeta a forma como nos comportamos. A linguagem que todos usamos tem o poder de impactar a vida de milhões de pessoas em todo o país.

Para quem vive com demência, o uso de palavras ou frases que rotulam, menosprezam ou despersonalizam as pessoas pode ter um grande impacto sobre eles e suas famílias
e amigos. Isso muda a maneira como eles se sentem sobre si mesmos, moldando seu humor, autoestima e sentimentos. Também pode mudar a forma como as outras pessoas pensam sobre a demência e aumentar a probabilidade de uma pessoa com demência sofrer estigma ou discriminação.

(Leia: A doença de Alzheimer pode ser mais leve! Conheça o Projeto Estigma)

Por outro lado, usando uma linguagem positiva – palavras e frases que fortalecem as pessoas, que trate-as com dignidade e respeito como indivíduos – pode mudar a forma como a sociedade vê e trata as pessoas com demência. Pode fazer as pessoas se sentirem valorizadas e incluídas e contribuir para mudar o panorama da demência.”

O guia para usar uma linguagem positiva é a compilação de uma construção. Ele foi baseado na escuta de pessoas com demência, seus cuidadores e todas as pessoas afetadas pela doença. Seguindo diretrizes do guia, você pode ajudar a melhorar a capacidade das pessoas de viver bem com a demência e trazer mudanças sociais duradouras.

Lindo, né? Lindo e poderoso!

Leia outros posts:

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.