Dica de jogo!!! Cruza-letras

5
3520

Nas minhas andanças por livrarias e lojas sempre fico observando o que poderíamos usar na nossa prática de Reabilitação. Particularmente, “sofro” com as boas ideias unidas à temas infantis. E cá entre nós, isso não é raro!

Achei um jogo que a ideia é legal e o tema/design não remete tanto à infância. O nome do jogo é Cruza-Letras. Todas as peças são de papelão, mas a gramatura não é pequena, não tornando a preensão difícil para idosos ou pessoas com disfunção motora.

Quando abri a caixa vi letras de tamanhos e contrastes bons. A maioria das figuras também são claras; todas são ilustrações, não são fotografias. O jogo tem também um tabuleiro com o objetivo de formar palavras referentes às figuras.

Ainda não usei, mas gostei da proposta. Quem conhece, nos fale da sua experiência.

Ana Katharina Leite

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

5 COMENTÁRIOS

  1. Oi Ana,
    primeiramente gostaria de parabenizá-la pelo site, a ideia é maravilhosa.
    Quanto ao recurso ele é muito bom (comprei há mais ou menos um mês), lógico que devemos fazer algumas adaptações para os nossos idosos (pegar figuras maiores, mais reais e próximos da realidade de nossa população) e usar a criatividade para mudar as regras apresentadas.
    Mas ele é muito bom para memória imediata, semântica, associativa…atenção, concentração…
    Parabéns e prometo deixar mais comentários.
    Bjs,
    Farah Mendes
    Terapeuta Ocupacional

    • Oi Farah!! Que contribuição maravilhosa, adorei o comentário. Pode comentar e opinar quantas vezes quiser e puder. Isso é importante para mim, para nós que trabalhamos e para quem cuida também. =) Abraço.

  2. Eu falei que ia comentar!! [rsrsrsrs]
    Então, mas ainda bem que vcs já deram o “pontapé inicial” no assunto que eu vou trazer, que é a questão destes jogos serem desenvolvidos para crianças e na maioria das vezes, como é o caso deste da foto, trazerem fotos de crianças na embalagem externa.
    O que eu queria sugerir é que, no caso de também (ou somente) usá-los com idosos, a embalagem poderia ser encapada, de modo a não “infantilizar” o idoso, o que nós sabemos que acontece por aí…
    Quantos profissionais não conhecemos que mudam o tom de voz para falar com o idoso, como se estivesse brincando com um bebê!
    A pessoa idosa, por mais fragilizada que esteja, é uma pessoa adulta que merece ser tratada como tal e eu fico indignada quando vejo um profissional agindo de maneira que, mesmo não sendo a sua intenção, faz o idoso sentir-se menos do que ele é.
    Alguém concorda comigo? [rsrsrs]
    Abração “Anas” queridas!

    • Vc falou e disse! kkkk Pois é Adri, eu nunca levo cmg essas caixas justamente por esse motivo. Assim como, não uso nenhuma peça que seja “infantil”. Temos que ter MUITO, MUITO cuidado com o material que usamos. Abraço!! =D Ana Katharina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.