Dica de exercício para memória de idosos: usando objetos da cozinha!

0
408

Esse é o primeiro post da série #cadernocluniáriareab que vai trazer formas de aproveitar melhor os exercícios cognitivos com papel e lápis, afinal o cuidado precisa ser feito de forma que haja significado para o paciente.

Os exercícios cognitivos que usaremos nessa série de posts é do caderno culinária do reab.me que explora a temática de alimentação e cozinha.

(Não viu o post inicial da série? clica aqui!)

Vamos ao primeiro exercício da nossa série?

O enunciado pede: Faça um “x” em todos os itens que fazem parte da sua cozinha:

O idoso deve marcar os itens que fazem parte da cozinha do idoso ou adulto que está respondendo. Uma forma de “ir além do papel” neste exercício é: levar a pessoa para a própria cozinha de casa! Essa pode ser uma atitude muito importante sempre: manter a pessoa atenta, consciente e interagindo com o(s) ambiente(s) que faz(em) parte da vida dela.

Estar no ambiente pode fazer a pessoa, espontaneamente, falar sobre os objetos, costumes, hábitos e trazer histórias da sua vida.

Como esse exercício pode ser feito por pessoas com graus diferentes de dificuldade, inclusive idosos com demência de Alzheimer, pode ser necessária adaptação dessa forma de realizar o exercício. Aumentando ou diminuindo o grau de dificuldade. O terapeuta que trabalha com a pessoa pode orientar bem o cuidador e tirar as dúvidas quanto a forma de adaptar.

Para quem cuida de um idoso com Alzhmeimer, aqui estão algumas sugestões sobre “deixar mais fácil e/ou mais proveitoso”:

O cuidador, estando na cozinha da casa do idoso, deve procurar uma mesa para apoiar os materiais do exercício e, se for o caso, sentar o idoso. Caso ele consiga explorar com o cuidador no ambiente, isso deve ser feito com o cuidador e idoso tendo as mãos livres para a segurança do idoso (evitar quedas e permitir que a mão esteja livre para abrir as portas e procurar os objetos).

(clique aqui e conheça o tecido de atividades para idosos com demência: ocupamão)

1. A cada item encontrado pelo idoso, visualmente ou através da busca nos armários, o cuidador pode deixa-lo tocar e estimular que ele fale sobre o objeto. Sem pressa. Aqui pode-se facilitar, dando a informação, por exemplo, do nome do objeto. Essa é uma forma gentil de tornar o momento leve e sem causar frustração. Manter o idoso tranquilo pode ser muitoooo importante nessa processo de estimulação em casa. Lembre que essa sugestão de deixar o idoso ter contato com o objeto é uma outra forma de deixá-lo envolvido e em contato com o ambiente; não se resumindo ao que está no papel. E falando mais do exercício no papel, olha a dica a seguir:

2. Uma forma de adaptar o exercício, justamente para que ele seja um momento prazeroso ou neutro, e não negativo para o idoso, é diminuir a quantidade de estímulos no papel. Isso ajuda no funcionamento cognitivo porque diminui a quantidade de coisas que ele precisa prestar atenção; para isso pode ir fazendo linha por linhae escondendo as outras, usando por exemplo uma régua (o ideal é que  não seja transparente), um pedaço de papel em branco ou ainda não fazer todas as linhas do exercício, para que não seja cansativo.

Gostou das primeiras dicas? Estaremos divulgando outras dicas e exercícios. Você pode acompanhar pelo nosso instagram @reabme através da hashtag #cadernoculináriareab ou aqui no site às quartas e sextas (até o dia 21 de Janeiro).

Para acessar a loja e saber mais sobre o caderno culinária: clica aqui! 

Se quiser conferir o post inicial da série:

Exercícios para memória de idosos usando o tema da alimentação e da cozinha

Veja um produto que pode te interessar. E ele tá prontinho para usar:

OcupaMão: tecido de atividades para idosos com demência!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.