Dia Mundial da Doença de Parkinson

5
2750

O dia 11 de abril é considerado o Dia Mundial da Doença de Parkinson. E é claro que não poderiamos deixar esta data passar sem enfatizar a sua importância.

Em virtude da data de ontem, queria aproveitar para falar um pouco sobre as Associações de Parkinson do Brasil, em especial da Associação de Parkinson de Pernambuco (ASP-PE) na qual tive o prazer de ser voluntária.

Você já procurou saber se existe uma delas na sua cidade?

Imagine aquele cliente, que não aceita a doença, se isola em casa e acha que o mundo acabou.

Agora imagine ele descobrindo um lugar onde a maioria das pessoas que frequentam têm o mesmo diagnóstico, a começar pelo Presidente (a maioria dos presidentes das associações tem a doença). Imagine ele encontrando pessoas que tentam tirar disso o lado bom, se organizam para lutar pela causa, dançam, orientam sobre questões relacionadas a distribuição das medicações no Estado, oferecem atendimento de Terapia Ocupacional, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Psicologia, apoio emocional, entre outras coisas.

Bom! Isso é o que algumas já oferecem e o que outras estão trabalhando para oferecer. Para vocês que não conhecem o trabalho das associações convido-os a entender melhor como elas funcionam e onde elas estão.

Hoje, depois de conhecer a fundo o trabalho da ASP-PE, a dedicação e o cuidado na luta pela causa, o amor doado de seu Presidente , Dr. José Veloso e sua esposa, D. Terezinha, nunca mais vi uma pessoa na rua, soube da história de alguém ou recebi algum cliente e não orientei sobre a Associação e o seu maravilhoso trabalho.

Tem muita gente boa, fazendo coisas boas. Procurem saber e informem a gente aqui pelo site também.

Fica a dica.

Ah! Quem quiser conhecer melhor o trabalho da ASP-PE este é o endereço:

Av. Guararapes, 86 – Sala 813

Tel.: 34242710

Email: pernambuco.asp@gmail.com

Mandem mais dicas!!!

Ana Paula

5 COMENTÁRIOS

  1. Oi Ana Paula… Só p/ complementar sobre os trabalhos desenvolvidos com a população com Parkinson, informo que estamos trabalhando em conjunto com Dr. Amdore Asano (neurologista) no ambulatório p/ doença de Parkinson, Hospital das Clínicas-PE. A equipe é composta por terapeutas ocupacionais (eu e Kátia Cilene), fisioterapeuta (Graça Coriolano), fonoaudióloga (Luciana Belo) e acadêmicos de fisioterapia. O enfoque do nosso trabalho é a qualidade de vida, mais especificamente em deglutição, por causa do grupo de pesquisa. No entanto, repassamos orientações gerais aos usuários e seus familiares, sobre exercícios, atividades, tratamento, entre outros aspectos. Atualmente estamos concluindo uma cartilha com orientações que será entregue a eles, mas sempre conduzimos os usuários p/ participar da ASP-PE. Acredito que o ambiente e as atividades da associação provocam muitas melhorias na vida dos usuários.
    Sexta-feira passada (09.04) participamos de um programa na Rádio Universitária e tiramos algumas dúvidas sobre a doença e suas implicações, foi bem legal. Ah… E divulgamos a ASP-PE também.
    É isso… Espero que a cada dia possamos encontrar caminhos para ajudar essas pessoas, que nos ajudam tanto também, com suas histórias e superações.
    Abraços… Dani

  2. Ótimo post Ana!!! Sou voluntária na Associação Parkinson Santa Catarina, onde realiza-se um trabalho lindíssimo e com diversas atividades semanais aos associados. Ontem fizemos uma panfletagem em um shopping de Florianópolis, com o objetivo de divulgar a associação e a doença de Parkinson. Hoje acontecerá uma palestra sobre o Parkinson para a comunidade em geral.
    Para quem tiver interesse, passo o nosso blog: http://parkfloripa.blogspot.com/

    Beijos,
    Bruna

  3. Ana Paula, Aquele abraço,
    Vocês voluntários merecem todo o nosso aplauso, sem esse amor a causa tudo ficaria deficil para a associação dar o atendimento que merece.
    Lembro que IV Congresso so foi possivel graças ao voluntariado da ASP-PE, o congresso deixou muitas saudades, foi muito bom ter contato com vc.
    Badu

  4. poxa sera que alguem pode me ajudar eu estou sofrendo muito com o meu pai, ele descobrio que tem mal de parkyson ha uns 3 anos ,so q ele ta ficando muito debilitado e deprimido ele e socorrido direto , eu ja não sei o que faser ,eu queria que ele tivesse alguma atividades para faser ,ele fica muito preso em casa sem querer falar com nimguem.queria que ele fisesse auguma terapia ,e comviver com outras pessoas q tbm sofre disso , como fasço para que ele tenha essa doença sem que tenha q sofrer tanto, quem poder me ajudar por favor me mande alguma resposta eu quero muito diminuir o sofrimento dele .obrigado e espero por resp

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.