Crianças precisam conhecer o BRINCAR para dar sentido aos seus BRINQUEDOS

0
5226

Se pedirmos para as crianças fazerem uma lista de brinquedos e outra de brincadeiras, pode apostar, a grande maioria vai te dizer o nome de vários brinquedos, mas pouco saberão listar brincadeiras nos seus momentos de diversão.

Sabemos que os brinquedos têm sua importância para o desenvolvimento, até porque ele sempre estrará associado a algo que de alguma forma motiva a criança e a faz imaginar situações e vivenciar interações que este pode lhe proporcionar.

No entanto, sem a brincadeira o brinquedo perde sua função. De que adianta uma corda, se eu só sei brincar de pular de forma individual e contanto até 10?

Será que estamos esquecendo de apresentar para as crianças aquela cantiga antiga que dizia “um homem bateu em minha porta e eu abri, senhoras e senhores, ponha a mão no chão, senhoras e senhores, pule de um pé só, senhoras e senhores, dê uma rodadinha e vá para o olho da rua”, para nossas crianças?

Os Referenciais que estruturam as atividades da Educação Infantil pontuam que “A brincadeira ocorre por meio da articulação entre a imaginação e a imitação da realidade. Toda brincadeira é uma imitação transformada, no plano das emoções e das ideias, de uma realidade anteriormente vivenciada”.

Para tal afirmação, temos que pensar… o quanto nossas crianças vivenciam momentos de brincar? Quais as sensações lhes são proporcionadas durante esse momento? O que ela aprende através do brincar?

As crianças, neste contexto, estabelecem relações e representações, o que traz vantagens sociais, cognitivas e afetivas na medida em que elas “extrapolam” seu mundo habitual. O brincar também é definido como uma atividade espontânea da criança, a qual se caracteriza pelo prazer, ludicidade e atividade mental (WAJSKOP, 1995).

No momento em que uma criança brinca, ela estabelece uma relação afetiva com o que faz e assim quer compartilhar e vivenciar aquele momento por diversas vezes e com isso ela aumenta o seu potencial de aprendizagem e amplia suas habilidades sociais.

Para isso, é preciso resgatar brincadeiras e apresentar um mundo de brincar e experimentar sensações que nenhum brinquedo substitui.

Separamos algumas brincadeiras simples para que vocês possam apresentar aos pequenos um mundo de possibilidades e diversão, quem sabe assim não aumentamos a lista de brincadeiras das nossas crianças?

Puxa o rabo

Um integrante ficará como o “puxador de rabos”, enquanto os outros tentaram fugir, pois quem fica sem o rabo sai da brincadeira. É só colocar uma fita presa na calça ou short e correr do “puxador de rabos”.

Reizinho mandou ou Boca de Forno

Uma criança será o reizinho e este solicita algumas missões. E este diz: REIZINHO MANDOU! Os outros perguntam: Fazer o que? Aí, o REI manda os participantes buscarem algo. Quem trouxer primeiro, será o novo REI.

Corre cotia

As crianças correm para pegar quem deixou um lencinho atrás dela.  Se quem deixou o lenço conseguir se sentar no lugar que ficou disponível, teremos um novo pegador. Uma forma de pega-pega com cantigas de roda.

“Corre cotia
Na casa da tia
Corre cipó
Na casa da avó
Lencinho na mão
Caiu no chão
Moça(o) bonita(o) do meu coração”

Posso jogar? Simmmm!

Cobrinha

Duas crianças serão selecionadas para segurar a corda e fazê-la rastejar, cada um em uma ponta. Os outros participantes deverão ultrapassar a corda sem tocar nela. Quem pisar na corda, sai do jogo e ganha quem conseguir chegar até o fim sem pisar na corda.

Pique-Fruta 

Uma criança pega e as outras correm, quem for pego deverá falar o nome de uma fruta. Todos devem estar atentos e gravar as frutas faladas, pois se repetir, não terá o direito de se salvar. Podemos fazer variações com  (animais, letras, cores…)

Telefone sem fio

Crianças em roda. Uma delas escolhe a mensagem a ser comunicada e assim vão passando um no ouvido do colega ao lado até que a última pessoa da roda diga qual a mensagem final.

Adoletá

Crianças em círculo, mãos em cima das mãos do colega e à medida que a música vai sendo cantada vão batendo na mão do seu vizinho. As palmas seguem a silabação da música:

“A-do-le-tá
Le peti
Tole tolá
Le café
Com chocolá
A-do-le-tá
Puxa o rabo do tatu
Quem saiu foi tu!”

Quem não conseguir se livrar da última palma, sai do jogo e assim chegaremos a um vencedor.

Coelhinho sai da toca

Serão desenhadas tocas em forma de círculos no chão. Sempre terá uma toca a menos que o número de participantes.

Alguém lidera a brincadeira para dar o comando: – Coelhinho sai da toca!

Nesse momento, todos têm que trocar de toca e alguém ficará sem toca, saindo da brincadeira. A medida que a criança sai da brincadeira, uma toca também será apagada. Ganha quem conseguir ficar na última toca que restar. Parece a dança da cadeira, lembram? As variações podem acontecer com outros animais e pedir que saiam das tocas imitando determinado animal.

Agora chegou a hora de você contar pra gente, quais brincadeiras marcaram sua infância?

imagem: José Maria Cuellar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.