Como usar textos para reabilitação e estimulação cognitiva?

15
2805

A leitura faz parte da vida das pessoas, e o uso de textos pode ser um recurso útil e eficaz no processo de Reabilitação Cognitiva ou estimulação das funções mentais.

Além ser usado durante as sessões, pode ainda ensinado ao cuidador, que se treinado pode usá-lo em casa com músicas, notícias de jornais e revistas e até com orações. Abaixo estão algumas sugestões que podem ser consideradas ao usar textos.

1. A ESCOLHA DO TEMA

Independente do quanto estão preservadas as funções cognitivas do sujeito, o contato com um texto só ocorre porque existe um propósito, um interesse. Sendo assim, o texto escolhido como recurso para treino de habilidades cognitivas tem um pré-requisito: ser do interesse de quem o lerá. A avaliação dos interesses antigos e recentes do cliente será determinante, e familiares e cuidadores podem ser informantes úteis, em especial quando o cliente tem dificuldade de identificar esses temas.

2. FORMATAÇÃO DO TEXTO

Após a escolha do tema, a apresentação do texto é um cuidado importante e que pode determinar a eficácia desse recurso. Uma página “limpa”, sem distratores, letras em tamanhos grandes e fontes não-serifadas, como Arial, favorecem compreensão e a velocidade da leitura. Ler sobre acessibilidade, pode ser útil, caso você se interesse pelo tema de tornar qualquer material gráfico acessível.

3. ESTIMULAR A IDENTIFICAÇÃO DO OBJETIVO DA LEITURA

Para uso do texto, o objetivo da leitura é o primeiro passo a ser lembrado, por exemplo, ao oferecer uma notícia sobre o campeonato brasileiro deve-se estimular o cliente a identificar quais informações que ele deseja com aquela leitura: a posição do seu time no campeonato? O resultado do último jogo? Esse objetivo pode ser lembrado durante a leitura, cabendo ao profissional fazer de forma tal que não prejudique a compreensão ou tire a atenção do cliente. Tendo um objetivo, teremos uma leitura funcional. Não será “apenas ler, será se informar!

4. DESTACAR INFORMAÇÕES RELEVANTES

Chamar a atenção nas partes relevantes do texto pode ajudar na compreensão e memorização da informação que está sendo buscada. O uso de marcadores e pedir que o cliente repita em voz alta, são alternativas usadas para favorecer o processo de memorização. Mesmo para aqueles que não possuem nenhum déficit de memória, a estratégia de marcar as palavras principais do texto pode ser útil.

5. RELER PARA POTENCIALIZAR A COMPREENSÃO

Ler mais de uma vez também é recomendado. A primeira leitura pode objetivar identificar os pontos relevantes do texto, enquanto que na segunda vez pode-se explorar mais da compreensão, especialmente quando o cliente conta com o efeito “priming da  memória”. Pausas durante a finalização das ideias do texto são usadas, e neste momento o cliente é estimulado a verbalizar o que compreendeu até então.

6. ESTRATÉGIAS PARA POTENCIALIZAR A LEITURA

Durante a leitura algumas “ferramentas” podem ser empregadas.
O uso de uma régua opaca durante a leitura é útil, direcionando a atenção do cliente para o trecho do texto que está sendo lido, evitando confusões que comumente ocorrem ao término da linha.

Outro facilitador quando se faz uso de letras de músicas ou orações é digitar ou escrever o texto de forma que as linhas terminem nas pausas que geralmente são dadas ao falar, por exemplo:
Pai nosso que estais no céu,
Santificado seja o vosso nome,
Venha a nós o vosso reino”.

Esta apresentação do texto pode ajudar no reconhecimento do texto.

E NOS ERROS SEMÂNTICOS?

Alguns equívocos semânticos podem acontecer, sendo importante que o terapeuta acompanhe o trecho que está sendo lido. Diante desses equívocos deve-se chamar a atenção do cliente questionando-o e dando outra opção, neste caso a palavra certa, por exemplo: “novelo ou novela”? Caso o paciente não perceba o terapeuta deve dar seguimento ao texto não comprometendo a compreensão do mesmo.

TEM OUTRA DICA?

Estas são algumas dicas que podem facilitar o uso do texto como recurso terapêutico e baseadas na experiência clínica. Se você faz de forma diferente ou tem algo a acrescentar compartilhe conosco.

Imagem Freepik

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Mais e quase tudo sobre minha história: Ana Leite, formada em Terapia Ocupacional na Universidade Federal de Pernambuco (Brasil). Minha experiência clínica como terapeuta é com a pessoa adulta e idosa com disfunção cognitiva que apresenta dificuldades na realização de suas atividades cotidianas. O processo de tratamento dos meus pacientes sempre envolveu intervenções que visavam a maior participação possível em atividades cotidianas significativas. As ferramentas utilizadas nesse processo incluíam orientações sobre adaptação do ambiente e da tarefa a ser realizada, organização de rotina e estimulação/reabilitação cognitiva. Tenho especialização em Tecnologia Assistiva, onde me instrumentalizei sobre o uso equipamentos e dispositivos que podem aumentar/permitir a funcionalidade. Fiz mestrado em Design, na linha de pesquisa de Ergonomia. Participei do desenvolvimento e validação de uma metodologia de avaliação do ambiente construído (MEAC). Na minha pesquisa estudei as variáveis arquitetônicas do ambiente moradia das pessoas idosas que residiam em ILPI (Instituição de Longa Permanência para Idosos). Nesse processo pude acrescentar ao conhecimentos da Terapia Ocupacional esse olhar mais aprofundado sobre o ambiente de moradia. Assim, compreendendo melhor qual o impacto que o ambiente físico/construído possui no funcionamento diário das pessoas idosas. Sou criadora da primeira marca digital, em língua portuguesa, dedicada a produção/divulgação de conteúdo especializado no contexto de reabilitação, reab.me. Produzo conteúdos textuais e audiovisuais através da curadoria de revistas científicas e outras referências técnicas; edito conteúdos de colaboradores, profissionais de reabilitação, de diversas áreas, que escrevem para o reab. Além de assuntos técnicos, escrevo sobre questões relacionadas à saúde mental dos terapeutas, tendo em vista a crescente necessidade de falar de autocuidado e bem estar para os profissionais de saúde. Tema que tem surgido de forma crescente e preocupante nos bastidores de prática clínica e até em pesquisas. O reab.me edita, produz e distribui em loja digital própria (que vocês encontram aqui no site!), produtos para serem usados por profissionais, cuidadores formais e familiares no processo do cuidar. Os produtos desenvolvidos contam com outros profissionais que opinando, através dos seus conhecimentos específicos, e testando contribuem na co-criação desses produtos. Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

15 COMENTÁRIOS

  1. Olá Ana!! Sou Terapeuta Ocupacional, e faço atendimentos domiciliares de DA’s. Adorei seu site! Vou fazer visitas semanais neste, já que aborda todos as informações necessárias para o atendimento do idoso, consequentemente uma melhor qualidade de vida para o idoso e sua família.
    Parabéns!

  2. Olá !!!!!
    Gostaria de parabenizá-las pelo site. Sou T.O. e trabalho com reabilitação cognitiva em idosos. O Site tem me ajudado a renovar e atualizar as atividades que utilizo como ferramentas de trabalho. É muito bom ter um canal de comunicação como este para profissionais da nossa área.
    Um grande abraço.
    Sabrina Benedetto.

    • Olá Sabrina, obg!! Saiba que para nós é importante esse retorno. Quanto mais as pessoas comentam e discutem no site, nós vamos descobrindo como devemos continuar a caminhar para promover esse troca e o crescimento da nossa prática. O espaço é nosso, vcs são a parte principal disso tudo. Abraço. Ana Katharina.

  3. olá!!
    Também sou terapeuta ocupacional!!
    trabalho na area da geronto, com atendimentos domiciliares e em uma clinica de repouso!!!
    fiquei muito feliz em achar um espaço onde podem ser trocada informações, atividades, entre outras coisas na ara da t.o.
    seu trabalho é muito bom!!!
    com certeza irei visitar o site com uma boa frequencia, e recomendá-lo para minhas amigas!
    abraços.

  4. Sou Fonoaudiolaga, e sem querer encontrei este site e adorei. Muitas dicas importantese já vou recomenda-lo para as amigas. Quero adquirir o livro de exercícios. Obrigado pelo carinho . Orete

  5. Olá! Utilizei um texto para trabalhar atenção e sequenciamento de informações. Escolhi uma crônica curtinha e entreguei-a ao paciente para que ele pudesse ler. Em seguida entreguei os parágrafos da crônica cortados e com algumas informações em branco para que o paciente pudesse arrumar o texto em sequência e preencher as informações que estavam faltando. Aproveitei para fazer diversas perguntas sobre o conteúdo do texto. Foi bastante produtivo!

  6. Olá! Adorei seu site! Sou fisioterapeuta e sou portuguesa. Trabalho num centro de saúde e dentro das minhas funções também faço educação para a saúde. Neste momento a equipa de educação e promoção da saúde, onde estou integrada esta a desenvolver um trabalho sobre estimulação cognitiva. As suas sugestões são muito interessantes!
    Como faço para adquirir o caderno 50 exercicios prara estimulação cognitiva:o cotidiano em evidência ?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.