Carnaval com idosos: 10 ideias de atividades para o cuidador e familiar!

0
763

Carnaval é uma época que pode ser extremamente significativa para o idoso. E, como todo assunto com significado merece ser visto e trazido à rotina de cuidados. No entanto, alguns profissionais, cuidadores e familiares podem achar difícil imaginar formas do idoso participar, em especial se ele tem alguma limitação física ou condição cognitiva que impedem/limitam a independência e segurança.

Vamos deixar aqui algumas dicas de como participar, mas esteja atento ao principal: participar de uma data festiva, estar “engajado” no que acontece nessa época do ano não necessariamente é fazer como todo mundo faz; ou seja, podemos trazer o significado do Carnaval sem necessariamente cair na folia.

Vamos deixar aqui algumas formas do idoso dependente ou independente estar envolvido:

  1. Pesquise blocos destinados à terceira idade e organize para levar o idoso. Dê preferência aos menores, os que saem mais perto de casa (evitando grandes deslocamentos ou possibilidades de muito trânsito).
  2. Leve o idoso para calçada ou janela, caso na rua do idoso passem blocos. Estimule ele a prestar atenção em alguns detalhes, como as fantasias, músicas e a alegria das pessoas. Um banquinho pode ser necessário para deixá-lo confortável.
  3. Assista com ele na televisão os desfiles, blocos ou transmissões de Carnaval de rua. Lembre-se sempre de contextualizar, comentar, estimular que ele fale sobre isso
  4. Improvise uma fantasia. Escolha uma roupa colorida, um chapéu ou adereço de cabeça, seja para assistir o bloco passar, a transmissão da televisão ou para dançar com você na sala.
  5. Improvise uma sequência de músicas para dançar com o idoso. Esteja sempre atento à segurança do idoso; se necessário, deixe ele sentado. Dançar não necessariamente é estar em pé pulando! Ele pode bater palmas com você, balançar os braços, a cabeça…
  6. Escute músicas de Carnaval, em especial as Marchinhas. (Baixe aqui no site um ebook com letras de marchinhas e cantem juntos!)
  7. Veja fotos antigas. Se o idoso tiver fotos dele, dos filhos, parentes essa é uma oportunidade de resgatar a história dele. Caso você não tenha acesso a esses registros, use de imagens que você pode encontrar na internet (fique atento para que a imagem seja nítida o suficiente para que ele compreenda o que está ali representado).
  8. Imprima máscaras de Carnaval e pinte com ele para decorar a casa ou dar aos netos
  9. Pesquise vídeos ou músicas na internet que remetam aos bailes de Carnaval antigos
  10. Que tal escrever com ele uma memória de Carnaval inesquecível? Use um papel com linhas, um lápis grafite escuro e tenha por perto uma borracha. Ajude-o, se necessário, a construir as frases e incentive-o enquanto ele faz.

Lembre-se sempre da importância da hidratação se for sair, não descuide da segurança do idoso (esteja sempre com ele), nem tão pouco do conforto. E atenção: esteja atento aos sinais de comportamento que podem mostrar insatisfação: música alta, uma quantidade maior de pessoas ou calor podem incomodar e desencadear reações comportamentais pela angústia ou desconforto. A experiência precisa ser legal para ele!

Outros posts que podem te interessar:

 

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.