Brinquedos e brincadeiras para crianças cegas

8
11435

O objetivo desse post é listar alguns tipos de brinquedos que podem ser inseridos no brincar da criança cega ou com baixa visão auxiliando seu desenvolvimento.

Vamos começar falando da estimulação vestibular que é importante para o desenvolvimento saudável do cérebro das crianças, especialmente das cegas ou com baixa visão. Estas pessoas não recebem a estimulação vestibular adequada, pelo menos na maioria das vezes.

Uma criança vidente (que é como chamamos quem enxerga) obtém esse tipo de estimulação através dos movimentos da cabeça durante as brincadeiras e outras atividades cotidianas que requerem o movimento da cabeça para olhar para as coisas e realizar as atividades. Se você parar para pensar 2 minutinhos, vai ver quanto movimento da cabeça realizamos para nossas atividades, até mesmo as que executamos em pé, como o banho. Crianças que não conseguem enxergar só possuem uma fração dessas experiências de movimento.

Pensando nesse tipo de estímulo, o balanço proporcionado por alguns brinquedos é uma boa maneira para crianças cegas receberem o estímulo que o cérebro precisa para se organizar e se desenvolver de forma otimizada. A ausência do estímulo vestibular pode levar a problemas no processamento das informações sensoriais e, a partir daí, surgirem diferentes sintomas, um deles pode ser inquietude, que os pais podem entender como ansiedade ou problemas comportamentais. Assim, o estímulo vestibular proporcionado pelo balanço pode ajudar. Conclusão: crianças cegas podem se beneficiar de ter oportunidades diárias ou regulares de se balançarem.

Nada melhor para se balançar que um balanço, não é? Sendo assim, nossa lista começa com:

— balanços

20130927-062340.jpg

20130927-062215.jpg

Jogos e brincadeiras que envolvam movimentos também podem facilitar as relações sociais, dando às crianças atividades que podem fazer com outras pessoas (outras pessoas ou adultos). Estimule pais a pensarem quais as brincadeiras com movimento que os filhos gostam e introduzí-las com mais frequência na rotina da criança.

Quando o assunto é brinquedos, é recomendável que crianças cegas tenham brinquedos como:

instrumentos musicais (bateria, pianinho, instrumentos de corda…). O legal de instrumentos é não só desenvolver outro sentido como também aguçar o interesse por música enquanto estimula ritmo e outras habilidades importantíssimas que só a música fornece.

20130927-050533.jpg

massa de modelar ou argila. Esses recursos podem ser trabalhados de várias formas. O importante nesse caso é o contato da criança com esse recurso tátil tão rico em possibilidades de uso.

20130927-051355.jpg

Falando em estímulo tátil, não podemos deixar de lembrar a piscina. Piscina é sinônimo de alegria para crianças, mas para a criança cega pode ser um desafio tendo em vista o ambiente sensorial diferenciado e a habilidades psicomotoras necessárias para fazer certos movimentos, alguns deles que jamais seriam possíveis fora da piscina. Introduzir e estimular a piscina pode ser bastante rico do ponto de vista psicomotor, ou seja, várias habilidades motoras, cognitivas e sensoriais juntas. Se você não é profissional, use mais uma vez a imaginação e procure pensar tudo o que você sente é precisa fazer para se manter em uma piscina. Temos um post que mostra bóias pensadas para pessoas com disfunção motora grave, quer ler? Clica aqui.

CDs de diferentes gêneros (ritmos e sons diferentes), rádio e um gravador. A última dica do gravador pode ser para a criança brincar e explorar sua própria voz ou a de parentes e amigos. Se você tiver acesso rádios e gravadores que tenham Braille, melhor ainda. Achamos alguns produtos específicos para pessoas cegas ou com baixa visão no Amazon.

Você sabia que existe um rádio com design pensado para pessoas cegas? (clique aqui e veja no Amazon)

20130927-053449.jpg

20130927-053503.jpg

E um gravador digital de voz com marcadores táteis nos botões ? (clica aqui e vê no Amazon)

20130927-054359.jpg

Claro que sabemos que equipamentos e brinquedos podem ser adaptado para crianças cegas, na realidade, todos eles deveriam ter um design universal, mas existem alguns que foram pensados especificamente para esses casos, como é o caso do cão guia de pelúcia que vem com uma bengala branca. Não sabemos se ele existe no Brasil, mas pode ser comprado no Amazon (clica aqui e vê a referência).

20130927-054624.jpg

Não o vimos pessoalmente, mas teve gente no Amazon dizendo que ele era pequeno demais…. Fica a crítica de quem já usou!

Com todos esses exemplos, estimule pais e familiares a ter um espaço sensorial em casa, até certos balanços de brinquedo podem ser comprados e cabem no interior de uma residência que não tem quintal. Ou até tem espaço, mas períodos de inverno que impossibilitam a criança de brincar fora de casa.

Ah, temos uma dica de site com materiais para pessoas cegas ou com baixa visão: American Printing House. Esse site contém jogos, brinquedos e até adaptações para atividades cotidianas, tudo pensado para esse público específico.

Use a técnica com criatividade e imaginação sempre considerando a realidade da criança, combinado?

E você, tem brinquedos para indicar? Compartilhe com todos!!!

Fonte: squidoo.com
Imagem da massa de modelar: freyagf

8 COMENTÁRIOS

  1. muito bom esse material, principalmente pelo fato de estar elaborando um Artigo com esse tema. Gostaria que vc me enviasse mais materiais que possam ser utilizados na educação de alunos cegos.

  2. Preciso de orientação e informação sobre brinquedos para crianças cegas. sou professora de sala de recurso multifuncional.

  3. Gostei demais do tema e sugestões. Sou também professora do AEE e o único que tenho é a bandinha e outros recursos que podem ser adaptados. No Brasil a inclusão de todas as pessoas com deficiência deixa ainda a desejar pois até em cursos de capacitação sobre a inclusão que participo acontece a exclusão no quesito acessibilidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.