Atividades de matemática: como as crianças aprendem essa matéria brincando?

0
911

Mais um ano letivo iniciando e com ele o retorno às rotinas de escola, estudos e
atividades extracurriculares e também a volta à preocupação da família com notas e
aprendizados das crianças. Todas essas questões são válidas e pertinentes, mas não
podemos esquecer de que são crianças e necessitam de tempo de ócio e brincadeiras.

Diante de tantas demandas da sociedade de criar filhos perfeitos para um mercado
de trabalho cada vez mais competitivo, mais obrigações e atividades são inseridas na rotina
infantil e cada vez menos tempo sobra para o brincar. Pensando nessas questões, vêm
surgindo muitas pesquisas relacionadas ao tema do brincar e seus benefícios na vida das
crianças.

(Leia: Como ajudar a criança no desenvolvimento da escrita: detalhes que precisam de atenção!)

No livro “Einstein teve tempo para brincar” (Hisrh-Pasek, Golinkoff, Eyer, 2006), as
autoras comentam sobre diversas pesquisas de como as crianças adquirem muitas habilidades matemáticas durante o brincar. Em umas das pesquisas relatam sobre um estudo com 80 crianças entre 4-5 anos pelo professor do Teachers College da universidade de Columbia e autor do Big Math, Herbert Ginsberg, onde as crianças brincando livremente passavam 46% do tempo realizando atividades matemáticas como separando objetos (colheres aqui, garfos ali), contando os objetos ou explorando padrões de formas diversos.
Pensando nessa contribuição da brincadeira para aquisições matemáticas, o que podemos sugerir de atividades são:

  1. Brinque com objetos :Crianças são curiosas, ofereça diversos objetos/brinquedos para que ela aprenda sobre números, quantidade, separe por conjuntos.
  2. Matemática em toda parte: brinque com a criança de identificar os formatos
    da construções, quantas janelas tem nos prédios. No trânsito, contar quantos
    carros de determinada cor aparece mais, qual a placa cuja soma dos algarismos é o maior número.
  3. Faça da feira um momento de diversão e aprendizado: comparar tamanho
    das frutas, separar uma quantidade de determinado objeto, procurar entre os
    produtos qual tem maior e menor valor.

Um fator comum em várias pesquisas é que quando algo é significativo e de
interesse da criança o aprendizado ocorre mas facilmente, então que tal separa os
brinquedos preferidos e deixar fluir as habilidades matemáticas do seu filho?

(Leia também: Atividades em casa ajudam a desenvolver a coordenação motora fina!)

Emília Lopes | Terapeuta Ocupacional | @espacocolabtherapy

50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldade de aprendizagem

 

Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.