A escolha do colchão no idoso com imobilismo

2
4424

Semana passada me deparei com uma preocupação na casa de uma idosa que atendo: marcas no corpo duas horas depois de levantar causadas pelo colchão.

Sabemos que tudo, absolutamente tudo, em nossas vidas têm evoluído rápido e a tecnologia está desde o aparelho de telefone até o colchão que deitamos, o que é excelente, ou melhor, deveria ser… mas antes de mostrar o caso específico que vivi na prática, quero lembrar alguns cuidados que devemos ter na compra de um colchão, especialmente para idosos com imobilismo.

1. A densidade que é a resistência do produto ao peso do corpo. Nas lojas onde comprar você vai perceber que existem densidades certas para o peso de cada um. Se você vai comprar um colchão para um cliente acamado ou que já passa muito tempo na cama, lembre-se de dizer isso ao vendendor, colchões de densidade alta demais podem ser muito duros, cansar a musculatura e causar dores. Além disso, podem causar úlceras de pressão!!! Ah, mais cuidado que densidades baixas demais deixam o corpo desalinhado e também pode ser problema para o corpo.

2. O tecido que reveste o colchão também é importante, algodão e outros tecidos que sejam mais frescos são os mais adequados, especialmente, em regiões quentes (como a que reside esta blogueira que vos fala!).  Considere também se o idoso tem incontinência e adote medidas para preservar o colchão e não comprometer o conforto do idoso.

3. O que está dentro do colchão? Pois é… você na hora da compra vê o que está por fora, e até experimenta a maciez e o conforto, mas como na grande maioria das vezes o idoso não pode fazê-lo ou opinar você deve ter bastante cuidado com alguns “adicionais, como pastilhas que prometem ser benéficas ao usuário.

Ou seja, terapeutas, familiares e cuidadores ATENÇÃO NA ESCOLHA DO COLCHÃO!!!

Imagem: truckpr
Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.