Cuidador da doença de Alzheimer: quais qualificações devem possui (parte 1)

0
2678

O que faz um cuidador qualificado????

  • Diante da perda de memória e das constantes perguntas do paciente, o cuidador responde uma vez ou duas vezes e, em seguida, desvia a atenção do cliente.
  • Simplifica as tarefas e adapta as atividades para as competências e habilidades do cliente.
  • Quanto linguagem, fala devagar e faz perguntas curtas e diretas.
  • Incentiva a comunicação e presta atenção à linguagem não-verbal do cliente.
  • Para desorientação usam placas/sinais e calendários. Eles se sentam ao lado para conversar com o cliente, caminham e o distrai com outras atividades. Além disso, evita lugares que deixam o cliente desconfortável.
  • Estão sempre vigilantes, não reclamam diante da perda de um objeto, não se irritam porque sabem que a causa de todas as  alterações no comportamento e no desempenho é a doença. Como estão capacitados quanto aos sintomas, não se surpreendem.
  • Após a perda de iniciativa do cliente, os cuidadores estimulam o cliente, dando opções de atividades e são muito pacientes.
  • Observam, durante a alimentação, a linguagem corporal, reconhecendo a hora de mudar do alimento sólido para os alimentos líquidos, sabem quando mudar utensílios, os tempos de uso e respeitam o cliente quando eles não querem mais. Além disso, usam frases de encorajamento.
  • Ao monitorar a deambulação, percebe os momentos de agitação e os aproveita para divertir e colocar o cliente para fazer exercícios.
  • Quando os clientes estão sonolentos, tentam os manter ativos.
  • Conhecem os efeitos das drogas e sabem tranquilizar os clientes.
  • Quanto ao controle do esfíncter, usam palavras de estímulo, respeitam a privacidade do cliente, têm horários estabelecidos, usam luvas e explicam ao cliente o que eles vão fazer.
  • Procura ajuda profissional para conhecer os efeitos secundários dos medicamentos e saber como programar os remédios ao longo do dia. Além de garantir que as drogas fiquem longe do cliente que não tem condição de administrá-lo.
  • Quanto às atividades de auto-cuidado e controle de medicação, trabalham com um caderno ou jornal (onde é feito relatório sobre o estado do cliente).
  • Clientes que necessitam de ajuda para o banho, o cuidador facilita com técnicas e palavras encorajadoras para envolver o cliente na atividade.
  • Quando o cliente apresenta sintomas distintos dos habituais, o cuidador os remete a um especialista.
Fonte: alzheimeruniversal.eu 
Imagem: edyourdon
 
Gostaram das dicas?? Vou postar mais!!! E você tem as suas??? Comente ou envie para contato@reab.me
Sou terapeuta ocupacional de formação, comunicadora por dom e experiência ao longo dos 10 anos frente ao reab.me; empresária que aposta na produção de produtos e conteúdos significativos e com propósito para ajudar as pessoas que precisam dos cuidado da reabilitação. Editora-chefe do Reab.me. Terapeuta Ocupacional (UFPE) com especialização em Tecnologia Assistiva (UNICAP). Mestre em Design (UFPE). Sou autora de 4 livros de exercícios para estimulação cognitiva que servem como material de apoio em contextos terapêuticos que visam a manutenção ou melhora de disfunções cognitivas. Sendo eles: - 50 exercícios para estimulação cognitiva: o cotidiano em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a culinária em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva: a família em evidência; - 50 exercícios para estimulação cognitiva de crianças com dificuldades de aprendizagem. No mais, sou Ana, esposa de Fábio, mãe de Olga e Inácio. Praticante de meditação e yoga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.